• Isabel Palma

Atendimento virtual - uma realidade e um problema para o médico veterinário

A telemedicina já é uma realidade na medicina humana e sua regulamentação e os limites de sua atividade vêm sendo exaustivamente discutidos pelos médicos e seu Conselho.


Seguindo esta nova fase, é crescente a ânsia dos tutores por atendimentos online, especialmente via whatsapp. Inúmeras são as mensagens de tutores pedindo conselhos e até prescrições aos médicos veterinários, acompanhadas de áudios, vídeos e fotos.


Ávidos por atender a essa demanda, sabe-se de algumas plataformas que estariam ofertando o atendimento veterinário online, que, em tese, propiciaria maior conforto e agilidade para o atendimento.


Ocorre que a consulta por videoconferência fere o Código de Ética do Médico Veterinário, que proíbe prescrição sem prévio exame clínico do paciente.


Recorda-se que apenas por meio de vídeos e fotografias não é possível um adequado exame clínico, sendo este tipo de atendimento um risco, tanto para o animal, como para o próprio médico veterinário, que está diante de uma alta probabilidade de erro de diagnóstico.


Assim, recomenda-se aos médicos veterinários que não pratiquem este tipo de conduta, não realizando consultas ou prescrições online, a fim de cumprirem com a ética da profissão, bem como para se preservarem de eventual responsabilização civil.


Sugere-se que os profissionais esclareçam os seus clientes – tutores, a respeito da importância do exame clínico, bem como da proibição ética ao atendimento e prescrição online, estabelecendo limites claros à relação médico-tutor, evitando futuros constrangimentos.

12 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Como lidar quando o tratamento clínico não é suficiente?

Você já passou por situação em que o tratamento clínico/conservador não obteve o resultado positivo esperado e você teve que encaminhar o paciente para especialista ou cirurgião e o tutor ficou insati