• Isabel Palma

Cuidados que a pet deve ter no banho e tosa

O serviço de banho e tosa é um dos mais procurados pelos tutores nas pets, sendo que, conforme pesquisa sobre o mercado de consumo pet realizada pela CNDL e SPC Brasil, em 2017, mais de 60% dos tutores zelam pela higiene de seus bichinhos.


Entretanto, tal serviço traz um risco elevado de incidentes e, especialmente, de insatisfações e reclamações que podem vir a acabar com a boa reputação do estabelecimento.


Não são incomuns incidentes durante a tosa, ou mesmo reações a medicamentos, ou ao próprio stress durante o banho.


Como fornecedores de serviço, as pets shops são responsáveis objetivamente por eventuais danos causados aos animais em suas dependências, de forma que o melhor caminho é sempre a prevenção.


Para tanto, o ideal é manter a constante capacitação e orientação dos funcionários, a fim de promover o bem estar durante os banhos e tosas, bem como evitar quaisquer danos físicos aos animais.


É possível, ainda, registrar no cadastro do animal observações como alergias ou cuidados especiais, salientando que toda a equipe deve estar sempre atenta para as anotações, pois a não observância dos apontamentos pode ser ainda pior.


Da mesma forma, é possível registrar eventuais lesões ou situações que o bichinho apresente ao ser entregue para o banho pelo tutor.


Mas mesmo com todos os cuidados, sempre é possível que ocorra algum evento adverso. O animal pode ter alguma reação não esperada, ou mesmo ocorrer algum imprevisto.


Nesses casos, o ideal é ser sincero com o tutor. Avisá-lo no momento da devolução do bichinho ou, em casos graves, imediatamente.


Ao manter a honestidade e resolver a situação pessoalmente com o cliente, cria-se um vínculo de confiança que permitirá a continuidade da prestação do serviço ou, ao menos, busca evitar comentários desagradáveis nas redes – o que poderá ferir a imagem do local.


Em casos mais graves, como lesões sérias ou mesmo óbito do animal, recomenda-se contar com apoio jurídico para estabelecer o canal de comunicação e eventual acordo com o cliente, lembrando que sempre, em qualquer dos casos, a pet shop deverá se responsabilizar por todo e qualquer cuidado veterinário que venha a ser necessário.

4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Como lidar quando o tratamento clínico não é suficiente?

Você já passou por situação em que o tratamento clínico/conservador não obteve o resultado positivo esperado e você teve que encaminhar o paciente para especialista ou cirurgião e o tutor ficou insati