• Isabel Palma

Viajando com seu pet!

Se você está pensando em viajar com seu animalzinho de estimação e tem dúvidas sobre o que precisa fazer para levá-lo no avião, podemos lhe ajudar.


O transporte de animais domésticos poderá ser feito no interior da aeronave ou no porão. As regras e orientações de transporte variam conforme a cia aérea, o local onde o animal será transportado e até mesmo o destino da viagem. Entretanto, vale salientar algumas considerações para todas as viagens.


Para que seu animalzinho viaje de avião com você, é preciso obter:

- Certificado Veterinário Internacional (CVI) ou

- Passaporte para Trânsito de Cães e Gatos


O passaporte pode ser usado durante toda a vida do animal, desde que seja acompanhado de comprovante de vacinação atualizado, e não tem prazo de validade. Já o CVI deve ser emitido antes de cada viagem. O passaporte leva um mês para ser expedido pelo Vigiagro, e o certificado veterinário internacional pode ser emitido até mesmo no dia do embarque, conforme demanda da unidade.


Para expedir os documentos, o dono do animal deve ir até as unidades do Vigiagro em aeroportos, portos ou postos de fronteira. Outra opção é procurar uma das superintendências federais de Agricultura nos estados.


Esses documentos são emitidos gratuitamente pelo Vigiagro e comprovam que o cão ou gato atende às exigências sanitárias do país de destino.


Para evitar as surpresas de última hora, as viagens devem ser planejadas com antecedência, a fim de conhecer as exigências de cada destino. Essas exigências podem ser vistas por qualquer pessoa no site do MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento).


Entre as exigências sanitárias veterinárias principais está o atestado veterinário de que o animal não apresenta parasitose ou outras enfermidades.


Nesse atestado ainda deve constar que:

- o animal é microchipado;

- as vacinas estão em dia;

- que o animalzinho está com antiparasitário interno de amplo espectro em dia;

- que está com antiparasitário externo (contra pulgas e carrapatos, principalmente) em dia;

- sorologia para algumas enfermidades, dependendo do país;


Depois de organizada a burocracia para o transporte, mantenha a atenção redobrada! Dentre os incidentes mais comuns, estão a negativa de embarque com o animal, acondicionamento ou tratamento inadequado e até mesmo extravio dos animais transportados!


Para evitar quaisquer desses problemas, verifique as regras de transporte da cia aérea escolhida, bem como das eventuais conexões. Ainda, identifique seu animalzinho e a caixa de transporte exaustivamente.


Caso seu animal esteja viajando no porão, em casos de conexão, busque verificar a situação do bichinho a cada parada, para garantir que seu amiguinho está em segurança.


Ainda assim, diante de qualquer desses incidentes, busque ajuda imediatamente. Faça registro escrito junto à cia aérea e, eventualmente até mesmo ocorrência policial.


Mesmo depois de resolvido o problema, lembre-se: em caso de incidente, você pode ter direito à indenização.


Texto de autoria conjunta: Isabel Palma e Raul Bossler, médico veterinário CRMV 12474

Informações obtidas em: agricultura.gov.br


* Publicado em 17 de julho de 2018

7 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Como se preparar para a LGPD

Quando falamos em LGPD – Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais – logo pensamos em privacidade e o cuidado adequado com o tratamento dos dados pessoais, ainda mais se considerarmos que utilizamos em

Rua Dr. Freire Alemão, 523/301-B - Mon't Serrat - Porto Alegre/RS - CEP 90.450-060

contato@diasepalma.com.br

  • Facebook
  • Instagram