• Equipe Dias e Palma

A contratação do médico veterinário em clínicas e pet shops

Atualizado: 7 de Mai de 2019

Ter um veterinário em seu estabelecimento é de extrema importância, pois além de oferecer orientações quanto à alimentação e cuidados, a disponibilidade desse profissional de plantão em sua clínica permite ampliar os serviços oferecidos, incluindo consultas e atendimentos de urgência/emergência aos clientes – quando estes forem aplicáveis ao seu estabelecimento.


Uma dúvida comum nesse momento é: qual tipo de contratação de veterinário é o melhor? CLT? Autônomo? Prestador de Serviços?

O médico veterinário pode atuar profissionalmente com naturezas de prestação de serviços distintas, seja como autônomo – como prestador de serviços, ou empregado regido pela CLT.


O melhor tipo de contratação

O profissional veterinário pode exercer suas atividades através de um contrato de prestação de serviços, regido pelo Código Civil, ou mediante registro do contrato de trabalho com base na CLT – Consolidação das Leis do Trabalho. Essa distinção é primordial para avaliar os direitos que o profissional faz jus.

É prática comum a contratação de profissionais veterinários sem carteira assinada, apenas mediante prestação de serviços. Porém é necessário estar atento aos aspectos da contratação para que mantenha a característica de “prestador de serviços”, de forma que não se confunda com relação empregatícia.


Em quais casos o veterinário autônomo será considerado empregado e não prestador de serviços?

O artigo 3º da CLT define que “considera-se empregado toda pessoa física que prestar serviços de natureza não eventual a empregador, sob a dependência deste e mediante salário”.

Portanto, caso o profissional seja contratado como autônomo, porém preste serviços de natureza não eventual, sob subordinação do empregador e mediante salário seu contrato de trabalho deveria ser registrado em sua CTPS e o profissional faz jus a uma série de direitos trabalhistas. Nestes casos a empresa correrá grandes riscos de sofrer uma ação trabalhista movida pelo profissional.



Artigo escrito em parceria com nossa advogada parceira, Dra. Alexandra Lazzarin.


45 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Como se preparar para a LGPD

Quando falamos em LGPD – Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais – logo pensamos em privacidade e o cuidado adequado com o tratamento dos dados pessoais, ainda mais se considerarmos que utilizamos em

Rua Dr. Freire Alemão, 523/301-B - Mon't Serrat - Porto Alegre/RS - CEP 90.450-060

contato@diasepalma.com.br

  • Facebook
  • Instagram